Hiperidrose, mais conhecido como suor excessivo, suas causas e como tratar?

Hiperidrose é uma condição médica em que a pessoa sua excessivamente e de forma imprevisível. Esse aumento da produção das glândulas sudoríparas em quantidade excessiva acontece em nas seguintes regiões: mãos, axilas, face e pés. Pode afetar apenas uma dessas regiões ou uma associação delas. Suar ajuda a manter o corpo frio, todos suam, especialmente em dia de altas temperaturas, após os exercícios físicos ou durante uma situação de estresse, porém pessoas com hiperidrose possuem glândulas sudoríparas superativas, gerando um suor excessivo levando à sensação de desconforto significativo, tanto físico quanto emocional.

Avaliação

A hiperidrose pode ser primária, sem causa aparente, afeta cerca de 2% a 3% da população. Já a secundária é provocada por diabete, obesidade, hipertireoidismo, câncer, menopausa, entre outros. Porém, é necessário que o paciente passe por uma avaliação adequada para definir o diagnóstico. 

Principais tratamentos

Os tratamentos variam de acordo com a intensidade da doença, apenas o médico poderá dizer qual o melhor procedimento seguir, clínico ou cirúrgico.

Dentre as não cirúrgicas estão os medicamentos que incluem desde antitranspirantes, tratamentos psicoterápicos, comprimidos e cremes manipulados e aplicação de botox (toxina butolínica). De forma geral, com exceção dos casos leves, o tratamento através destes métodos obtém um bom resultado a curto e médio prazo, sendo necessária a manutenção constante para que o paciente tenha qualidade de vida desejada. Através da intervenção cirúrgica, que pode exigir a aspiração das glândulas das axilas ou asimpatectomia (bloqueio dos gânglios da cadeia simpática), essa é realizada por meio de pequenas incisões e pode representar a cura definitiva.

No entanto, é importante saber que cada tratamento é específico para cada indivíduo, o que inclui em muitos casos a associação de técnicas cirúrgicas e não cirúrgicas. Por isso procure um Cirurgião Vascular e verifique com ele qual o tratamento ideal para o seu caso.

 

Leave a comment